Projetos da Associação

logo ILGA
Em curso - eMore
O Projeto eMore (www.emoreproject.eu) pretende contribuir para o desenvolvimento de um modelo de conhecimento sobre discurso de ódio online e crimes de ódio, tendo por base um sistema conjunto de monitorização e denúncia, de forma a potenciar a compreensão do fenómeno e as tendências - online e offline - fazendo-se uma análise comparativa a nível nacional e europeia. Permitirá também a uniformização dos esforços nacionais e europeus de combate aos incidentes motivados pelo ódio. O consórcio é constituido por 12 entidades parceiras de diversas áreas dos Direitos Humanos e da criminologia (RiSSC, LAND, IDOS Research Centre, KISA, Support, Antiracism, MPG, CEJI, North West Migrants Forum, PI - Peace Institute, Associação ILGA Portugal, SOS Malta, College for Public Administration and Administration for Justice - Police Department, CLR.
 
A plataforma processará os dados/informação recolhida através de duas ferramentas também desenvolvidas pelo projeto: um rastreador online (crawler) que monitorizará a internet e uma aplicação (App) para denuncia de crimes – a ser testada em 9 países participantes. A base do conhecimento incluirá as mais relevantes categorias de ofensas motivadas pelo ódio nomeadamente género, raça, religião, orientação sexual e incapacidades físicas).
Em curso - Projeto True Colours - Alianças Da Diversidade e apoio a jovens LGBTI
Tens entre 14 e 18 anos de idade, és estudante, e na tua escola não se fala de orientação sexual, identidade ou expressões de género? Identificas-te como hetero mas tens colegas e amig@s lésbicas, gays, bissexuais, trans ou intersexo e queres defender os seus direitos? Queres organizar uma atividade sobre o que é ser queer ou não binário? Gostavas de encontrar mais pessoas LGBTI e formar uma aliança? Este projeto é para ti!
 
O True Colours tem como grupo alvo principal estudantes de nível secundário da região norte do país e consiste no apoio à criação de grupos com a designação de Alianças da Diversidade - ADD, inspirados no modelo 'gay-straight alliance', cujo impacto positivo nas comunidades escolares já tem sido identificado em países como a Holanda, Bélgica e Espanha, mas também nos EUA, onde a ideia teve origem. As ADD têm como objetivo a prevenção do bullying de origem homofóbica e transfóbica através da maior visibilidade e inclusão de jovens LGBTI.
 
A Associação ILGA Portugal vai disponibilizar recursos que podem ser utilizados de forma diferente por cada aliança, essencialmente composta por jovens, mas que também pode integrar docentes e pessoal não docente (por exemplo, a pessoa responsável pelo serviço de apoio ao aluno). A missão das ADD consiste no aumento da visibilidade da diversidade na escola (especialmente de orientações sexuais, e expressões e identidades de género), e no apoio a colegas LGBTI, Os recursos consistem em materiais de sensibilização e comunicação, adaptáveis ao interesse e perfil de cada aliança, que pode solicitar recursos e acompanhamento sempre que sentir necessidade. 
 
Em paralelo, está a ser criado um serviço de apoio, que funciona com um horário de atendimento semanal (também em itinerância), com vista ao atendimento a jovens LGBTI vítimas de bullying ou que simplesmente se sintam isolad@s ou procurem mais informação.
O projeto piloto está sediado na cidade do Porto, e irá ser acompanhado por um estudo de impacto, com vista a potenciar a sua continuidade e disseminação após a conclusão do apoio que lhe deu origem.
 
Mais recursos muito em breve!
Para mais informações:
email: add@ilga-portugal.pt
tlm: 351 92 7567666
Coordenador: Telmo Fernandes
Em curso - UNI-FORM
O Uni-Form pretende uma aproximação das organizações LGBT às forças de segurança e estruturas de aplicação da lei para uma eficaz colaboração no combate aos crimes de ódio contra pessoas LGBT na Europa, através da criação de um formulário único de denúncia e de uma aplicação de telemóvel para maior facilidade e estímulo de vítimas à denúncia. 
 
O Uni-Form é financiado pela Comissão Europeia e coordenado pela ILGA Portugal em colaboração com outras nove organizações congéneres europeias de Espanha (FELGTB), Irlanda (GLEN), Reino Unido (Galop), Malta (MGRM), Bélgica (çavaria), Hungria (Hátter), Estónia (SA Eesti), Letónia (MOZAIKA) e Lituânia (LGL) e com um período de implementação de 2 anos. 
 
O UNI-FORM é um desafio para a Associação, em termos de gestão financeira e de gestão de entidades parceiras, mas é também um reconhecimento do trabalho da Associação no combate aos crimes de ódio contra pessoas LGBT;

Em curso - Avaliação do funcionamento e do impacto da lei nº7/2011 (lei de identidade de género)
Os principais resultados do projeto de investigação “A ‘lei de identidade de género’: Impacto e desafios da inovação legal na área do (trans)género”, promovido pelo ISCTE-IUL em parceria com a ILGA Portugal e a FRI (the LGBTI Norwegian Association), foram apresentados na conferência “Transexualidade e reconhecimento legal do género” – que contou com a presença, entre vári@s conferencistas, da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, da Secretária de Estado da Justiça e representantes dos grupos parlamentares do Partido Socialista, Partido Social Democrata, Bloco de Esquerda, Partido Ecologista “Os Verdes”, e Partido Pessoas-Animais-Natureza.
 
A avaliação sistemática e formal da lei nº7/2011 mostrou bem o que falta garantir: 
 
• A real separação entre as esferas clínica e legal, ou seja, a autonomia e autodeterminação das pessoas trans no reconhecimento legal das suas identidades;
• A possibilidade de reconhecimento legal para menores de idade: de forma administrativa para maiores de 16 anos, e permitindo também que tribunais possam reconhecer legalmente a identidade a menores de 16 anos – sempre acautelando o superior interesse de jovens e de crianças;
• A possibilidade de reconhecimento legal de identidades não-binárias;
• O reconhecimento legal da identidade de género nos documentos emitidos pelo Estado Português a pessoas estrangeiras residentes em Portugal.
 
Os resultados deste projeto, financiado pelos EEA Grants e gerido pela CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, tornam evidente a necessidade de rever e melhorar o regime de reconhecimento legal do género em Portugal, de forma a garantir que todas as pessoas possam, de facto, ver reconhecida a sua identidade.
 
Mais info em: avaliarLIG.ilga-portugal.pt

 

Arquivo - Bleeding love
O projeto europeu Bleeding Love – Raising Awareness on Domestic and Dating Violence Against Lesbians and Transwomen in The European Women teve o apoio financeiro do Programa Daphne da União Europeia e contou com a participação de entidades de oito países: Università Degli Studi di Brescia (entidade coordenadora, de Itália), Avvocatura per i Diritti LGBTI (Itália), Zagreb Pride (Croácia), Bilitis Resource Center Foundation (Bulgaria), Liga Gay da Lituânia (Lituânia), Háttér Társaság a Melegekért (Hungria), Broken Rainbow LGBT Domestic Violence Service (Reino Unido) e Cavaria (Bélgica) e a Associação ILGA Portugal.  
O projeto decorreu entre fevereiro de 2015 e fevereiro de 2016, e teve como objetivo conhecer e prevenir a violência doméstica e em contexto de trabalho sexual exercida contra contra mulheres lésbicas, bissexuais e trans, tendo dado origem a vários recursos que estão disponíveis e podem ser utilizados para a sensibilização do público em geral, e de profissionais de apoio a vítimas, em particular:
 
- a brochura “Abuso não é amor”, que inclui informações gerais, um panorama dos direitos das mulheres LBT e uma lista de recursos úteis (http://www.ilga-portugal.pt/ficheiros/pdfs/Abuso_nao_e_amor.pdf)
 
- um vídeo que aborda o tema da violência em casais de mulheres: https://www.youtube.com/watch?v=1VRMUSnG-N0
- um segundo vídeo que aborda o tema da violência em contexto de trabalho sexual contra mulheres trans: https://www.youtube.com/watch?v=edtvHqvieec
- imagens que resultaram de um concurso fotográfico: http://www.bleedinglove.eu/photo-competition-bleedinglove/#!
- Um livro com as conclusões do diagnóstico e recolha de boas práticas efetuada em todos os países envolvidos no projeto: “Violência doméstica e em contexto de trabalho sexual contra mulheres LBT na União Europeia” (link disponível em breve)
 
- A página oficial do projecto inclui ainda outras informações úteis sobre o o decorrer do projeto, nomeadamente sobre a conferência final, que decorreu na Universidade de Brescia (em inglês): http://www.bleedinglove.eu/
 
Informações úteis sobre este tema podem ser enviadas para o email violencia@ilga-portugal.pt.
 
Arquivo - Saúde em Igualdade

O projeto “Saúde em Igualdade”, da Associação ILGA Portugal, teve como principal objetivo a recolha de dados empíricos sobre os desafios e as barreiras que as pessoas lésbicas, gays, bissexuais e trans (LGBT) encontram no acesso a cuidados de saúde adequados e competentes.


​O projeto foi financiado pela ILGA-Europe no âmbito do seu .Human Rights Violations Documentation Fund Esteve em curso durante o ano de 2004, tendo a recolha de dados sido efetuada entre junho e novembro. Participaram no projeto 629 pessoas (600 participantes LGB e 29 participantes trans), através do preenchimento de questionários de auto-relato. Foram ainda realizadas entrevistas a pequeno grupo de profissionais de saúde.

 

Sabe mais em igualdadenasaude.ilga-portugal.pt/ - e lê os resultados aqui

Arquivo - Observatório da Discriminação em função da orientação sexual e/ou da identidade de género
(apesar do período em análise neste projeto ter terminado, continuamos a recolher dados pelo que aconselhamos a visita a observatorio.ilga-portugal.pt )
 
 
No âmbito do projeto internacional "Documentation of homophobic and transphobic violence" de que a ILGA Portugal fez parte e que foi apoiado pelo Documentation and Advocacy Fund da ILGA-Europe, lançámos o Observatório da Discriminação em função da orientação sexual e/ou da identidade de género.
 
O projeto pretendeu recolher dados sobre incidentes/crimes discriminatórios contra pessoas lésbicas, gays, bissexuais e/ou transgénero (LGBT) e/ou contra pessoas percecionadas como sendo LGBT.
 
Os resultados deste projeto foram conhecidos em 2014, permitindo uma melhor compreensão da discriminação em função da orientação sexual e da identidade de género.
 
Os resultados do primeiro ano de funcionamento deste Observatório só vieram reforçar a sua importância. Vamos por isso continuar a recolher dados e incentivar à denúncia de incidentes e crimes discriminatórios -e a divulgar, anualmente, os resultados.
 
Leia aqui o relatório referente aos dados recolhidos em 2013.
 
E denuncie episódios de discriminação ou violência, como testemunha ou como vítima em 
observatorio.ilga-portugal.pt
 
Arquivo - Centro LGBT

 De 2011 a 2014 decorreu o projeto Centro LGBT, no âmbito do Programa Operacional de Potencial Humano do Quadro de Referência Estratégico Nacional (POPH/QREN).

Em paralelo com o projeto Porto Arco-íris, este projeto de maior dimensão permitiu reforçar a luta pela igualdade em Portugal, tornando as questões de género, identidade de género e orientação sexual eixos absolutamente centrais na área dos Direitos Humanos

Para além de ter permitido  uma programação regular de atividades culturais, lúdicas e políticas, o projeto Centro LGBT sistematizou a disponibilização de serviços essenciais e gratuitos à comunidade LGBT como o Centro de Documentação, o Serviço de Aconselhamento Psicológico, a Linha Telefónica de Apoio e Informação LGBT, Serviço de Aconselhamento Jurídico, prestando assim apoio à integração social e reforço da cidadania das pessoas LGBT.

Leia aqui o relatório do projeto.

Arquivo - Porto Arco-Íris

 O Porto Arco-Íris foi uma iniciativa promovida pela Associação ILGA Portugal - Intervenção Lésbica, Gay. Bissexual e Transgénero ate meados de 2014. Tratou-se de um projeto sediado na cidade do Porto que obteve suporte financeiro do QREN (Quadro de Referência Estratégica Nacional), através do Programa Operacional Potencial Humano.

 
A sua missão consistiu em responder à necessidade de intervenção no combate à discriminação com base na orientação sexual e na identidade de género na região norte do país, através da realização de um conjunto de ações de sensibilização e atividades de cariz cultural e formativo, dirigidas à população em geral mas também a públicos específicos (por exemplo: escolas, instituições particulares, técnicos de saúde, forças de segurança, profissionais de várias áreas, etc). Para além da angariação e formação de um corpo de voluntári@s, verdadeiro motor do trabalho a desenvolver, pretende-se também gerar uma rede de parcerias que permita desenvolver colaborações futuras e uma intervenção eficaz e alargada a toda a comunidade. 
 
ATIVIDADES:
- angariação e formação de voluntári@s
- participação em colóquios, conferências e workshops
- ações de disseminação em parceria com outras entidades
- organização de ciclos de cinema de temática LGBT
- organização de feiras do livro de temática LGBT
- distribuição de livros de temática LGBT por bibliotecas municipais e escolares
- concurso para a publicação um livro infantil
- promoção de exposições sobre direitos humanos LGBT
- colaboração com estudos académicos
- resposta a pedidos de apoio e informação
- formação em áreas profissionais específicas (saúde, segurança, educação, etc)
 
Porto Arco-Íris
e-mail porto@ilga-portugal.pt  
porto.ilga-portugal.pt
T. 351 927 567 666 
UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto
Praça Coronel Pacheco, nº 2, Sala 9 
4050-453 Porto
 
Visita-nos em porto.ilga-portugal.pt!
Arquivo - Being an LGBT parent as an experience of democracy and active citizenship

O projeto de parceria de aprendizagem Grundtvig intitulado “Being an lgbt parent as an experience of democracy and active citizenship” decorreuaté julho de 2014 em parceria com 4 organizações congéneres europeias oriundas da Finlândia, da Grécia, da Itália e da Suiça.

 

Os objetivos deste projeto passaram pela troca de experiências e empoderamento de ativistas e famílias arco-íris em três níveis concretos: cidadania ativa, media e redes sociais e questões legais.

 

Visite o website deste projeto, em lgbt-families.eu ou saiba mais sobre famílias arco-íris em familias.ilga-portugal.pt

Campaign “Invisible Parents”

Video, NELFA European Conference for Rainbow Families

Roadmap for a more effective digital communication

Communication and Visibility of Families with same-sex parents.

Handbook for a successful relationship with the media

Arquivo - Tod@s somos precis@s

O projeto “Tod@s somos precis@s” foi uma colaboração internacional entre dez países europeus, que pretendeu eliminar a discriminação, homofobia e transfobia nas escolas da UE.

O enfoque principal do projeto foi assegurar que assuntos como os Direitos Humanos, a igualdade de tratamento, a diversidade sexual e de género, a inclusão e a não-discriminação sejam abordados nas escolas e se tornem uma parte importante do vocabulário de alunas/os e professoras/es.
O projeto começou em 2010 e manteve-se até ao final de 2012.
A Comissão Europeia financiou o projeto gerido pelo Instituto Dinamarquês para os Direitos Humanos e conduzido em cooperação com dez ONG parceiras na UE.

Não deixe de visitar os websites e recursos decorrentes deste projeto:

http://teachers.ittakesallkinds.eu e ilga-portugal.pt/educacao/

 

Arquivo - Monitorização da implementação da Recomendação do Comité de Ministros do Conselho da Europa

 O projeto “Implementing the Council of Europe's Recommendation", de monitorização da implementação da Recomendação do Comité de Ministros do Conselho da Europa, decorreu em 2012 permitiu intervir junto das diversas autoridades nacionais para assegurar um trabalho sistemático contra a discriminação com base na orientação sexual e identidade de género e alertar para importantes prioridades no plano político, para além de ter permitido uma plataforma mais alargada de comunicação com o Governo.

 O “Relatório sobre a implementação da Recomendação CM/Rec(2010)5 do Comité de Ministros do Conselho da Europa aos Estados-membros sobre medidas para o combate à discriminação em razão da orientação sexual ou da identidade de género”, produzido no âmbito deste projeto, é um trabalho exaustivo de recolha junto das autoridades portuguesas no sentido de averiguar o cumprimento desta Recomendação e de apontar falhas e medidas urgentes para as corrigir.

 O projeto “Implementing the Council of Europe's Recommendation" foi possível graças ao apoio do Human Rights Violations Documentation Fund da ILGA-Europe.

Arquivo - Workshop Grundtvig: Respecting Family Diversity in Europe - human rights and the pursuit of happiness

 

 

O workshop Grundtvig “Respecting Family Diversity in Europe - human rights and the pursuit of happiness”, que decorreu em Lisboa em outubro de 2011, veio reunir ativistas de famílias arco-íris de toda a Europa e potenciar o papel da ILGA Portugal na criação da NELFA (Network of European LGBT Family Associations), enfatizando a dimensão europeia da luta pela igualdade para todas as famílias.

 

 


 Visite o website deste workshop, em lisboa2011.ilga-portugal.pt

 

Arquivo - Centro LGBT: um espaço de cidadania, de integração social e de valorização

O projeto «Centro LGBT: um espaço de cidadania, de integração social e de valorização», financiado pelo Mecanismo Financeiro EEA, foi o primeiro grande projeto da ILGA Portugal e permitiu contratar, no final de 2008, a primeira pessoa a trabalhar profissionalmente na área dos direitos das pessoas LGBT no país. O seu principal objetivo foi transformar o Centro LGBT num pólo dinamizador do empoderamento da população LGBT e da luta contra a discriminação.

Durante os seus dois anos de vigência, este projeto transformou de facto o Centro LGBT e cedo se percebeu que seria - e foi - a base para a mudança estrutural da ILGA Portugal e do ativismo LGBT em Portugal, que ao profissionalizar-se ganhou dinâmicas e profundidade.

Arquivo - Famílias no plural

O projeto “Famílias no plural” decorreu entre maio de 2011 e junho de 2012 e os seus objetivos foram:

1. Criar espaços virtuais e materiais de encontro, troca de experiências e confraternização das famílias arco-íris; 

2. Ajudar à integração de crianças filhas de pessoas LGBT, dissiminando simultaneamente os valores da igualdade e não-discriminação; 

3. Contribuir para o reconhecimento social destas famílias através da potenciação de espaços de discussão pública e académicos/científicos reconhecidos e divulgação e disseminação de informação relevante.

O projeto "Famílias no Plural" foi apoiado pelo Estado Português através do Instituto da Segurança Social, I.P., (Apoio Financeiro do Estado às Associações de Família – AFEAF).

Leia aqui o relatório deste projeto.

 

 

Arquivo - Transformation

Transformation foi o nome do projeto da Associação ILGA Portugal, com o apoio da ILGA-Europe no âmbito do seu Human Rights Violations Documentation Fund.

Através de TRANSFORMATION, pela primeira vez fizemos um retrato pormenorizado da situação das pessoas transexuais em Portugal.

Estão disponíveis online publicações no âmbito do projeto: "Eu? Sou uma pessoa", "Pelo direito à identidade" e "Sabemos o que somos. Pessoas." Em breve estará também o "SASSY - Social Assessment Interview Guide for Transexual People / Guião de Entrevista para Avaliação Social de Pessoas Transexuais".


Leia aqui o primeiro folheto "Eu? Sou uma pessoa", uma publicação com perguntas e respostas sobre questões de identidade de género que foi o primeiro resultado de TRANSFORMATION.
documentação: Eu? Sou uma pessoa

 

Pelo direito à identidade - Folheto com várias respostas às questões mais colocadas em relação à necessidade de uma Lei de Identidade de Género.
Em Portugal, uma pessoa transexual tem que recorrer aos tribunais para que o seu sexo e nome legais sejam alterados e fiquem de acordo com a sua identidade de género. Segue-se burocracia e lentidão, humilhação e desrespeito pela intimidade, a sujeição a visões caricaturais do que devem ser os homens e as mulheres transexuais - e a exclusão arbitrária de muitas pessoas transexuais.
documentação: Pelo direito à identidade

 

 

É fundamental que às pessoas transexuais sejam prestados cuidados de saúde adequados e sensíveis à diversidade de identidades e expressões de género. É ainda necessária a garantia de que em Portugal são cumpridas as directrizes clínicas internacionais nesta matéria. E por isso a Associação ILGA, no âmbito do trabalho desenvolvido pela equipa de projeto TRANSformation em colaboração com o seu Grupo de Reflexão e Intervenção em Transexualidade (GRIT), publicou a brochura "Sabemos o que somos. Pessoas."
documentação: Leia a publicação "Sabemos o que somos. Pessoas." em formato pdf - ou passe pelo Centro LGBT e obtenha-a impressa.

Arquivo - Violência contra LGBTs

Projeto Europeu “Identificar e combater os crimes de ódio contra as pessoas LGBT”

Na sequência da alteração dos Códigos Penal e do Processo Penal e do documento de “Boas Práticas para o Relacionamento entre as Forças e Serviços de Segurança e as Cidadãs e os Cidadãos LGBT” que a Associação ILGA Portugal produziu em 2007 e enviou para as forças e serviços de segurança e para as respectivas tutelas, a ILGA Portugal associou-se enquanto parceira ao Projecto europeu “Tracing and tackling hate crime against LGBT persons”, coordenado pelo Instituto Dinamarquês dos Direitos Humanos e financiado pela Comissão Europeia.

Este Projeto, terminado em 2011, visou promover a identificação e monitorização de crimes de ódio contra pessoas LGBT, em nove Estados-Membros da UE, mediante uma colaboração próxima com as forças de segurança. Através de um intercâmbio de experiências e conhecimento entre as autoridades e as ONG dos países participantes, o Projeto promoveu junto das forças e serviços de segurança a recolha de informação sobre crimes de ódio dirigidos às pessoas LGBT, garantindo a formação sobre a discriminação e as suas consequências e incentivando a denúncia de crimes de ódio.

No âmbito deste projecto, os especialistas dinamarqueses em Direitos Humanos visitaram Portugal em Fevereiro de 2010 para reuniões conjuntas com o Ministro da Administração Interna, a Polícia de Segurança Pública, a Polícia Judiciária, a Secretária de Estado da Igualdade e a Guarda Nacional Republicana. Na sequência destas reuniões, foi identificado o plano de acção e o público-alvo das acções de formação previstas no Projeto.

Esta formação decorreu em Outubro de 2010, e envolveu professores/as das Escolas (da PSP e da PJ) e técnicos/as das referidas forças policiais, focando a integração e inclusão dos direitos e das questões específicas LGBT, no quadro dos Direitos Humanos e da ética da profissão. Outra actividade  implementada é o desenvolvimento de um website onde se encontra informações sobre leis e direitos da Europa e sobre crimes de ódio contra pessoas LGBT, bem como o contributo para o sistema de recolha de informação por parte das próprias forças de segurança.

 Este foi, portanto, um projecto-piloto, em que Portugal poderá uma vez mais dar o exemplo na promoção dos Direitos Humanos e do valor da igualdade e da não-discriminação.
 

Leia aqui materiais editados no âmbito deste projecto.

Saiba mais sobre este projecto no site Identificar e Combater os Crimes de Ódio Contra as Pessoas LGBT

 

Arquivo - Projecto Descentrar da Associação ILGA Portugal

Em 2002 teve o início o Projecto Descentrar da Associação ILGA Portugal. Este projecto, que deu origem à rede ex aequo, teve por objectivo a formação de grupos de jovens um pouco por todo o país, fazendo chegar o apoio de pares a cada uma das cidades alvo e a todas as outras em que se justificou.

RESUMO DO PROJECTO

OBJECTIVOS . Criação de grupos de convívio, de apoio e de trabalho para jovens lésbicas, gays, bissexuais, transgéneros e simpatizantes, com idades compreendidas entre os 16 e 26 anos &9642; Criação de uma rede de grupos de jovens LGBT, a rede ex aequo. O nome de cada novo grupo será composto pelo nome da rede, ex aequo, seguido do nome da respectiva cidade

RESULTADOS PRETENDIDOS . Diminuição do isolamento da juventude LGBT em Portugal &9642; Criação de um espaço de convívio seguro e saudável para a criação de amizades e apoio mútuo &9642; Elaboração de projectos que visam informar e consciencializar os cidadão, jovens e adultos, em relação aos temas da homo e bissexualidade e do transgenderismo, destruir preconceitos e alertar para os perigos e resultados da homofobia e transfobia

APOIOS Instituto Português da Juventude . Web.pt

 

site da rede ex aequo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tags: jovens movimento LGBT projectos

Arquivo - Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa

O Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa mudou de nome e já não é organizado pela Associação ILGA Portugal.
Após a 4ª edição (2000), a organização do evento passou a ser autónoma e da responsabilidade de uma associação criada para o efeito, onde pode ser encontrada informação sobre as edições do Festival. Actualmente, é a Associção Cultural Janela Indiscreta que organiza o Festival Queer Lisboa

site do Queer Lisboa

 

 

 

 

Arquivo - Marcha em Memória e Solidariedade para com as Pessoas Afectadas pelo VIH/Sida

Entre 1997 e 2002, a ILGA Portugal organizou por cinco vezes a Marcha em Memória e Solidariedade para com as Pessoas Afectadas pelo VIH/Sida, chamando a atenção da sociedade portuguesa e em honra de todas as pessoas que foram afectadas pelo VIH/SIDA.

 

 

Tags: marcha prevenção IST

PESQUISAR Projetos
Projetos
Contacto e Sugestões | Avisos Legais | English