Noticias

logo ILGA

Notícias: Internacionais

Obama promulga fim de "Don't ask, Don't tell"
2010-12-22
Obama assina fim de Don't ask, don't tell
O Presidente norte-americano assinou o fim da política de "Don't Ask, Don't Tell", que permitia que homossexuais servissem no Exército apenas se não admitisse a sua homossexualidade.
 
O Presidente disse que estava orgulhoso de assinar uma lei que acaba com uma prática que considera discriminatória e que "fortalece a nossa segurança nacional". A lei espelha "os ideais que os nossos homens e mulheres arriscam a vida para defender", disse ainda Obama, acrescentando que "agora dezenas de milhar de americanos em uniforme não vão ter de viver uma mentira".
 
A assinatura não faz, no entanto, com que termine imediatamente a política "Don't Ask, Don't Tell": o Pentágono vai ainda certificar, perante o Congresso, que o Exército tem certas condições, como programas de educação e treino para as tropas explica o diário norte-americano "Washington Post". E o Presidente deverá ainda, com o secretário da Defesa, Robert Gates, e com o chefe do Estado Maior Interarmas, o almirante Mike Mullen, "certificar" por escrito que a aplicação das novas regras não comprometerá "o nível de preparação das forças armadas, a coesão das unidades e o recrutamento". Depois, os regulamentos do Exército terão de ser alterados e será pedido aos chefes das unidades que preparem os militares para as mudanças.
 
Quando entrar em vigor - e o próprio Presidente Obama avisou que até então mantém-se a velha lei - será a primeira vez que homossexuais podem servir no Exército sem esconder a sua orientação sexual. A cerimónia teve na assistência defensores dos direitos civis e vários membros do Exército que foram exonerados por assumirem a sua homossexualidade. 
 
Os homossexuais não podiam servir no Exército até 1993, quando o então Presidente, Bill Clinton, introduziu a política "Don't Ask, Don't Tell", permitindo-lhes alistarem-se desde que mantivessem em segredo a sua orientação sexual. 
 
Ao longo de 17 anos, mais de 13 mil homens e mulheres foram exonerados ao abrigo desta política. Segundo as estatísticas do Departamento da Defesa, 2001 foi o ano em que se verificaram mais expulsões (1227). Os números começaram a diminuir assim que os Estados Unidos invadiram o Afeganistão, no fim desse ano, e em 2009 foram expulsos 428 soldados gay.
 
in Público, 22 Dezembro 2010
logotipo do facebook logotipo do twitter logotipo do delicious
PESQUISAR NOTÍCIAS
NOTÍCIAS
2019
Janeiro
2018
Novembro
Outubro
Abril
Março
Fevereiro
2017
Dezembro
Novembro
Outubro
Julho
Junho
Maio
2016
Dezembro
Outubro
Agosto
Julho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2015
Dezembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2014
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2013
Dezembro
Novembro
Setembro
Agosto
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2012
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2011
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2010
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2009
Novembro
Contacto e Sugestões | Avisos Legais | English