Noticias

logo ILGA

Notícias: Internacionais

EUA: finalmente Do Ask, Do Tell!
2011-07-24
EUA: finalmente Do Ask, Do Tell!
Os americanos poderão declarar-se abertamente gays sem que isso os impeça de prestarem o serviço militar. O anúncio foi feito hoje pelo Presidente Barack Obama. 
 
"Todos os norte-americanos podem estar certos de que nossas extraordinárias tropas, tal como gerações passadas que também se adaptaram a outras grandes mudanças, continuarão a manter a sua força, graças aos valores da justiça e da igualdade", disse Barack Obama.
 
A notícia foi recebida com euforia por parte da sociedade norte-americana que já anteriomente comemorara a realização dos primeiros casamentos gays em Nova Iorque. 
 
17 anos de discriminação
 
 
A legislação discriminatória contra os homossexuais foi aprovada em 1993 com o apoio do então Presidente Bill Clinton, que defendeu a ratificação da medida alegando que anteriormente os gays eram expulsos do Exército. Com a nova lei, que ficou em vigor durante 17 anos, somente seriam expulsos se manifestassem abertamente a sua orientação sexual. Ou seja, até aqui, os militares homossexuais eram obrigados a viver a sua sexualidade em segredo.
 
Desde então, e ao contrário do que prometera Clinton, sempre que inspecções rotineiras nos quartéis descobriam cartas privadas, diários pessoais ou emails nos quais ficasse evidenciada a homossexualidade do soldado, este era imediatamente expulso.
 
Em 2004,  o grupo Log Cabin Republicans , organização gay e lésbica que reúne os homossexuais mais conservadores do país, apresentou uma queixa contra o Governo por considerar a lei inconstitucional.
 
Desde então, as petições para uma mudança sucederam-se mas a enfrentar sempre resistências, nomeadamente dos Chefes de Estado-Maior, alimentadas sobretudo pelas insistentes advertências do corpo de Infantaria da Marinha, segundo o qual admitir o ingresso de gays implicaria no fim da disciplina nas Forças Armadas.  
 
Novos tempos
 
 
Em setembro do ano passado, um juiz refutou essa tese e ordenou que o Congresso derrogasse a lei o quanto antes, o que veio acontecer em dezembro do ano passado. 
 
No entanto, por causa da resistência ainda latente nalguns setores das Forças Armadas, como o do marines, o Pentágono  levou sete meses a analisar como deveria efetuar a mudança de forma segura para os soldados homossexuais.
 
Segundo Barack Obama, já foram tomadas todas as medidas necessárias para "manter intactos os níveis de preparação, unidade e serviço" a partir do momento em que se passem a aceitar que os soldados usem o seu uniforme sem ocultar a sua orientação sexual. O período de transição até entrar em prática a alteração é de 60 dias.
 
Desde 1993, a lei "Don't ask, don't tell" - que proibia o ingresso de gays e lésbicas no Exército  se estes assumissem a sua homossexualidade - permitiu que fossem expulsos dos quartéis 13 000 tropas gays e lésbicas.
 
in Expresso online, 24 Julho 2011
logotipo do facebook logotipo do twitter logotipo do delicious
PESQUISAR NOTÍCIAS
NOTÍCIAS
2019
Janeiro
2018
Novembro
Outubro
Abril
Março
Fevereiro
2017
Dezembro
Novembro
Outubro
Julho
Junho
Maio
2016
Dezembro
Outubro
Agosto
Julho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2015
Dezembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2014
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2013
Dezembro
Novembro
Setembro
Agosto
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2012
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2011
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2010
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2009
Novembro
Contacto e Sugestões | Avisos Legais | English