Noticias

logo ILGA

Notícias: Internacionais

França: Muçulmanos e católicos unem-se contra o casamento gay
2013-01-07
casport

Os muçulmanos franceses juntaram-se ao movimento católico que combate o casamento gay na tentativa de inviabilizar a lei que o Governo socialista do Presidente François Hollande quer aprovar em Junho.

Cinquenta activistas escreveram esta segunda-feira uma carta aberta pedindo aos muçulmanos para se juntarem a uma manifestação no próximo domingo em Paris contra a iniciativa socialista. Apelo idêntico fora feito no sábado passado pela influente União das Organizações Islâmicas Francesas.

Quase todos os líderes religiosos em França (muçulmanos, católicos, judeus, ortodoxos) se pronunciaram contra o casamento de pessoas do mesmo sexo e pediram ao Governo para cancelar esta proposta legislativa. Mas poucos incentivaram os seus fiéis a marchar na grande manifestação marcada para domingo, argumentando que a campanha contra o casamento gay não deve ter um tom religioso, refere a Reuters.

Os bispos católicos, por exemplo, abstiveram-se de tecer comentários, mas oito anunciaram que estarão presentes na manifestação, 25 encorajaram os fiéis a participar e 40 defenderam o protesto, de acordo com o jornal católico La Croix.

Só a União Budista não tomou posição, com os líderes da comunidade a explicarem que Buda nunca se pronunciou sobre a questão homossexual.

Hollande tem enfrentado a Igreja Católica e no fim-de-semana apelou a que o tema não fosse discutido com os alunos que frequentam escolas católicas (ou a catequese), considerando que as conversas se podem transformar numa discussão anti-homossexualidade.

"No dia 13 de Janeiro vamos protestar, unindo-nos a uma campanha plural que quer evitar a quebra da regra tradicional do casamento", diz a carta dos 50 activistas. "Convidamos todos os muçulmanos franceses a aderir e em grande número" contra a reforma a que o Governo chamou Casamento para Todos. "Se esta lei for aprovada, destruirá a família, as estruturas sociais e a lei civil, o que será irreversível". Assinam a carta intelectuais, empresários e religiosos que acusam Hollande de usar o casamento gay para lançar uma cortina de fumo sobre problemas sociais graves, como o desemprego.

Em França vivem cinco milhões de muçulmanos e o islão é a segunda fé no país, a seguir ao catolicismo. O Governo, que detém a maioria no Parlamento, conseguirá aprovar a lei, sendo que as sondagens de opinião feitas pela imprensa local têm mostrado que 60 da população é a favor da proposta Casamento para Todos.

A manifestação terá vários pontos de partida, espalhados por toda a cidade de Paris, mas todas as marchas terminarão num único local, a Torre Eiffel.

In Público. 7 janeiro 2013

 
logotipo do facebook logotipo do twitter logotipo do delicious
PESQUISAR NOTÍCIAS
NOTÍCIAS
2019
Janeiro
2018
Novembro
Outubro
Abril
Março
Fevereiro
2017
Dezembro
Novembro
Outubro
Julho
Junho
Maio
2016
Dezembro
Outubro
Agosto
Julho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2015
Dezembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2014
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2013
Dezembro
Novembro
Setembro
Agosto
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2012
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2011
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2010
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2009
Novembro
Contacto e Sugestões | Avisos Legais | English