Noticias

logo ILGA

Notícias: Nacionais

PS e PSD divididos quanto a adopção por casais homossexuais
2011-08-26
foto de usaqueer.com

Bloco de Esquerda vai levar tema a debate na Assembleia da República ainda durante esta sessão legislativa

Adopção por casais homossexuais levanta algumas dúvidas entre os deputados: formação da criança e se a sociedade estará preparada
A adopção por casais homossexuais promete dividir as opiniões na Assembleia da República e dentro dos próprios partidos. Há deputados contra, a favor e também há quem diga que está disponível para pensar sobre o assunto. PS, PSD e CDS-PP devem dar liberdade de voto aos deputados.

"Sou completamente favorável e vamos bater-nos para que seja aprovada", afirma ao i Pedro Alves, líder da Juventude Socialista (JS) e deputado. Mas lembra: "A oportunidade pode não ser muito favorável, já que temos uma maioria de direita. O sucesso do casamento gay resultou de uma ampla movimentação da sociedade civil e esse trabalho demora o seu tempo. Espero que esta proposta ajude ao debate e não seja contraproducente."

Já Duarte Marques, líder da Juventude Social-Democrata (JSD) e deputado, assume ter "muitas reservas". "Tenho a certeza de que para os jovens a adopção por casais gay não é uma preocupação central. A JSD tem muitas dúvidas sobre esta matéria", afirma o líder da jota, acrescentando que é mais importante "agilizar o processo de adopção" do que "discutir já se pode ser feita ou não por casais homossexuais".

No PS, a deputada Isabel Moreira, eleita como independente, "gostava de ver aprovada a adopção por todas as pessoas". "Mas são batalhas que levam o seu tempo e, a partir do momento em que há uma maioria de direita, há coisas que não vale a pena apresentar como proposta de lei sob pena de inscrever num caminho de vitórias uma derrota", afirmou ao i numa entrevista recente.

Entre os socialistas há quem seja mais cuidadoso a assumir uma posição. "Não é um tema que esteja na agenda política. É uma matéria delicada, e portanto vamos ver", assume o deputado socialista e apoiante do actual secretário-geral, José Junqueiro. Também Mota Andrade, deputado e apoiante de António José Seguro, é comedido nas palavras: "Ainda nada foi discutido, essa é uma questão ideológica e há muitas posições diferentes. O PS encontrará uma posição maioritária mas terá de ser muito discutida e amadurecida."

Do lado do PSD as posições são mais reservadas. "Não tenho uma posição fechada sobre o assunto, embora seja um tema sensível", considera o vice-presidente da bancada social-democrata, Luís Menezes. "A formação da criança como indivíduo é uma questão que me preocupa, mas se me provarem que não há nenhum problema..."

Os argumentos são partilhados pela vice-presidente da bancada, Francisca Almeida: "A adopção envolve uma terceira pessoa, um menor, e há que ter cuidado quando se legisla sobre esta matéria." E acrescenta: "É um caminho que a sociedade fará inevitavelmente, mas não sei se esse tempo terá chegado. Temos de ter a certeza que a sociedade olhará da mesma forma para estas crianças e irá acautelar o seu bem-estar." Já a deputada social-democrata Ana Sofia Bettencourt é mais assertiva: "Já existe a adopção individual. Chame-me conservadora, mas entendo que a referência não deve ser essa", afirmou numa entrevista recente ao i.

Enquanto PS e PSD estão divididos, CDS-PP e PCP deverão ter uma posição mais unida. O CDS votou contra o casamento homossexual e a posição não deverá divergir nesta matéria. "Sou contra. As experiências existentes em alguns países ainda não nos dizem que será algo favorável para a formação das crianças. Tenho muitas dúvidas em relação a essa matéria", afirma o vice-presidente da bancada centrista, José Manuel Rodrigues. Já o PCP tem reservas nesta questão, considerando que merece ser mais debatida na sociedade antes de ser consagrada na lei.

O BE vai apresentar um projecto de lei que permite a adopção por casais gay ainda nesta sessão legislativa. É preciso que 16 deputados da maioria de direita votem favoravelmente, contando com os votos de toda a esquerda. O PSD em "temas de consciência dá sempre liberdade de voto", assume Luís Menezes, e o CDS também poderá dar liberdade de voto "por haver opiniões diferentes" no partido, afirma José Manuel Rodrigues. Apesar da liberdade de voto, os partidos têm sempre uma posição oficial sobre o assunto. Recorde-se que tanto PSD como CDS votaram contra o casamento gay. O PS também deverá ter liberdade de voto, já que o secretário- -geral assumiu que quer acabar com a disciplina de voto, salvo em matérias que tenham a ver com a governabilidade. Contudo, não é líquido que todos os socialistas e mesmo o PCP votem a favor da adopção por casais gay.

in i online, 26 Agosto 2011, por por Sónia Cerdeira

saiba mais sobre a parentalidade de pessoas LGBT no site das Famílias Arco-Íris

 


 

 
logotipo do facebook logotipo do twitter logotipo do delicious
PESQUISAR NOTÍCIAS
NOTÍCIAS
2017
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2016
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2015
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2014
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2013
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2012
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2011
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2010
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2009
Novembro
Setembro
Agosto
Julho
2006
Julho
Junho
Contacto e Sugestões | Avisos Legais | English