Noticias

logo ILGA

Notícias: Nacionais

ILGA acusa Hélder Trindade de discriminação
2015-04-29
ILGA acusa Hélder Trindade de

 Ao ser ouvido esta quarta-feira na Comissão Parlamentar de Saúde, na Assembleia da República, Hélder Trindade afirmou que ser homem e ter tido sexo com outros homens é fator de exclusão para a dádiva de sangue, acrescentando que só admite dadores gays se eles estiverem em fase de abstinência sexual.

 

"São [declarações] de uma extrema irresponsabilidade e absolutamente discriminatórias. Irresponsabilidade porque, antes de tudo, para ter um sangue de qualidade os critérios têm de ser os comportamentos e não a orientação sexual", defendeu a presidente da ILGA, em declarações à Lusa.

Isabel Advirta sublinhou que não pode ser o fator 'com quem se teve sexo' a definir o grau de risco de uma dádiva, mas sim os comportamentos.

Para a responsável, esta posição do presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) vai contra "várias posições internacionais" e uma recomendação da Assembleia da República, para que "a discriminação dos homens que têm sexo com homens fosse terminada".

"Não só ignora estas recomendações, como apela à estigmatização à custa das pessoas que são alvo desta estigmatização e o pior de tudo é que utiliza argumentos científicos sem fundamento para continuar a explorar a discriminação que existe", acusou.

Segundo a presidente da ILGA, "é consensual que a transmissão por via sexual não depende das práticas sexuais específicas, mas das práticas sem proteção".

"E é por isso que são os comportamentos e não as práticas sexuais em si que são, eventualmente, um fator de risco acrescido", apontou.

Isabel Advirta disse que a ILGA pediu recentemente uma audiência ao ministro da Saúde para, entre outros assuntos, abordar esta questão, mas lembrou que andam há cerca de dois anos a tentar perceber em que ponto está o grupo de trabalho criado em 2012 por causa desta matéria.

"Parece que não existe. Achamos que a vontade política de manter a discriminação é a regra, ignorando não só o facto de que estão a estigmatizar uma população que já é alvo de preconceito, como também as boas práticas em relação aos fatores de risco numa colheita de sangue", adiantou.

Sobre esse grupo de trabalho, o presidente do IPSH disse, na comissão, que deverá haver conclusões "em breve" e frisou que o instituto ao qual preside "não tem preconceitos" que debate estes assuntos com um olhar "técnico e científico".

in JN, 29 abril 2015

mais notícias sobre este tema:

Instituto já leva mais de dois anos a decidir se gays podem dar sangue

Homossexuais católicos acusam Hélder Trindade de "posição retrógrada"

Homossexuais só podem dar sangue se estiverem em abstinência sexual

Bloco pede demissão do Presidente do Instituto do Sangue

 

 
logotipo do facebook logotipo do twitter logotipo do delicious
PESQUISAR NOTÍCIAS
NOTÍCIAS
2017
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2016
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2015
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2014
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2013
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2012
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2011
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2010
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2009
Novembro
Setembro
Agosto
Julho
2006
Julho
Junho
Contacto e Sugestões | Avisos Legais | English