Noticias

logo ILGA

Notícias: Internacionais

Escócia é o primeiro país do mundo a incorporar os direitos LGBTI nas escolas
2018-11-09
Escócia Escolas
A Escócia vai ser o primeiro país do mundo a incorporar os direitos das lésbicas, gays, bissexuais, transgénero e intersexuais no currículo escolar, avança o jornal britânico The Guardian.  
 
As escolas estatais vão passar a ensinar às crianças a história da igualdade e dos movimentos LGBTI. Esta medida terá como objetivo atacar os preconceitos associados à homofobia e à transfobia e, ao mesmo tempo, explorar a identidade LGBTI. O anúncio já foi confirmado pela conta de Twitter do Governo escocês.
 
 
As recomendações associadas a esta medida foram aceites na totalidade por todos os ministros e a proposta foi realizada por um grupo de trabalho, liderado pela campanha Time for Inclusive Education (TIE).  Não haverá isenções e estará presente ”no curríulo escolar e em todos os assuntos”, de acordo com o mesmo jornal.
 
Jordan Daly, cofundador da TIE, considera que “está é uma vitória monumental para a campanha e um momento histórico para o país. A implementação da educação inclusiva dos direitos LGBTI nas escolas públicas é colocar o mundo em primeiro plano. Num tempo de incerteza global, isto mostra uma forte e clara mensagem para os jovens LGBTI que eles são valorizados na Escócia”, refere ao jornal inglês.
 
A Escócia como exemplo
Neste momento, a Escócia está no ranking como um dos países mais impulsionadores da Europa no que toca à proteção legal das pessoas LGBTI, apesar de só em 1980 ter descriminalizado formalmente a homossexualidade — 13 anos depois da Inglaterra e do País de Gales — e pretende continuar a sê-lo.
 
Quando John Swinney, vice-primeiro-ministro com a pasta da Educação, fez o anúncio, referiu isso mesmo. “A Escócia é neste momento considerada um dos países da Europa mais progressistas relativamente à igualdade LGBTI. Sinto-me satisfeito por anunciar que nós [os escoceses] somos o primeiro país do mundo a incorporar o ensino dos direitos LGTBI no currículo escolar”, refere.
 
“O nosso sistema educativo deve apoiar as pessoas ricas em potencial. É por isso que é vital um currículo diversificado como os jovens que apreendem nas nossas escolas”. Em 2000, foi banida uma lei que abolia a promoção da homossexualidade nas escolas, a chamada Section 28 (secção 28).
 
Este anúncio foi feito depois de, na terça-feira, o jornal The Guardian ter noticiado que um grupo de mulheres tinham escrito ao Secretário de Estado para a Educação inglês, Damian Hinds, alertando  o governo de que era necessário implementar planos de educação sexual nas escolas de Inglaterra.
 
A mesma organização que promoveu esta medida realizou um estudo que referia que nove em cada dez escoceses LGBTI foram vítimas de homofobia nas escolas e 27 dos inquiridos relatam que tentaram o suicídio após terem sido vítimas de buylling.
 
Notícia completa AQUI.
 
In Observador, 14 de novembro de 2018.
 
logotipo do facebook logotipo do twitter logotipo do delicious
PESQUISAR NOTÍCIAS
NOTÍCIAS
2019
Julho
Janeiro
2018
Novembro
Outubro
Abril
Março
Fevereiro
2017
Dezembro
Novembro
Outubro
Julho
Junho
Maio
2016
Dezembro
Outubro
Agosto
Julho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2015
Dezembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2014
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2013
Dezembro
Novembro
Setembro
Agosto
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2012
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2011
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2010
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2009
Novembro
Contacto e Sugestões | Avisos Legais | English