Noticias

logo ILGA

Notícias: Internacionais

JN: Obama "extremamente desapontado" com bloqueio à abertura das Forças Armadas a homossexuais
2010-12-10
Obama quer gays e lésbicas assumidos nas forças militares

"Os norte-americanos concordam em grande maioria [com a anulação]. Esta lei enfraquece a nossa segurança nacional, diminui a preparação das Forças Armadas e viola os princípios fundamentais da justeza, integridade e igualdade", refere a declaração divulgada ao final do dia pela Casa Branca.

"Como comandante das Forças Armadas, comprometi-me a anular esta lei discriminatória, uma medida apoiada pelo secretário da Defesa e pelo chefe do Estado Maior, e apoiada por um estudo exaustivo que mostra que os nossos militares estão em larga maioria preparados para servir com norte-americanos que são abertamente homossexuais", adianta a nota de Barack Obama.

A maioria democrata no Senado necessitava de 60 votos, numa votação processual, para que prosseguisse a discussão da lei que anula as actuais disposições.

A proposta foi aprovada com 57 votos a favor e 40 contra, estes últimos sobretudo de senadores republicanos.

Dois senadores -- o democrata Joe Lieberman e a republicana Susan Collins -- anunciaram entretanto a intenção de patrocinar uma nova lei, com o apoio de ambos os partidos.

Na semana passada, o Senado ouviu o secretário da Defesa e as várias chefias militares acerca da anulação da política quanto à orientação sexual dos militares, conhecida como "não perguntar, não dizer", na sequência da divulgação de um relatório pelo Departamento de Defesa norte-americano, que sustenta que a autorização a que militares homossexuais sirvam abertamente não poria em causa a operacionalidade militar norte-americana.

Enquanto a administração e o chefe do Estado-Maior do Exército, Mike Mullen, defenderam que a instituição militar pode alterar a sua política no actual período de guerra sem consequências para a sua operacionalidade, o chefe do Estado-Maior da Força Aérea e o comandante dos Marines afirmaram ser arriscado fazê-lo nesta altura.

Obama deu instruções, no início do ano, ao Departamento da Defesa para que fosse preparada a transição para uma nova política.

A legislação que anula a actual disposição já foi aprovada na Câmara dos Representantes, mas tem vindo a arrastar-se no Senado.

O debate em torno deste assunto atrasou a aprovação pelo Senado da lei que autoriza as despesas militares, que contempla a anulação da lei.
 

in JN,  Dezembro 2010

logotipo do facebook logotipo do twitter logotipo do delicious
PESQUISAR NOTÍCIAS
NOTÍCIAS
2019
Julho
Janeiro
2018
Novembro
Outubro
Abril
Março
Fevereiro
2017
Dezembro
Novembro
Outubro
Julho
Junho
Maio
2016
Dezembro
Outubro
Agosto
Julho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2015
Dezembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2014
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2013
Dezembro
Novembro
Setembro
Agosto
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2012
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2011
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2010
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
2009
Novembro
Contacto e Sugestões | Avisos Legais | English