Noticias

logo ILGA

Notícias: Nacionais

AMPLOS lança guias para ajudar pais e educadores a compreenderem questões de género
2019-10-24
Amplos Guia
A pior atitude perante uma criança com comportamentos diferentes dos esperados para o seu género é ignorar, alertou a Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual (AMPLOS), que apresentou nesta quinta-feira dois guias para ajudar pais e educadores.
 
Os guias, que foram apresentados publicamente numa cerimónia com a secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, têm cada um 15 páginas com recomendações — tanto para os profissionais na área da educação, como para os pais — sobre a diversidade de expressões de género na infância e como lidar com a questão.
 
Em declarações à agência Lusa, a vice-presidente da Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual (AMPLOS) revelou algumas das recomendações feitas aos educadores e, no geral, a quem trabalha com crianças. “Explicar às crianças que elas não são culpadas de qualquer discriminação de que são alvo. A criança não pode ter culpa de nada, é a sociedade que não a aceita”, adiantou Manuela Ferreira.
 
O guia começa logo por apontar que, “por vezes, as crianças têm comportamentos e atitudes inesperados, que não correspondem aos papéis que normalmente se atribuem ao seu sexo” e que frequentemente há profissionais de educação que, quando são confrontados com estas expressões de diversidade de género, as consideram erradas e sentem-se na obrigação de corrigir esses comportamentos.
 
“O fundamental será então capacitar quem se relaciona com elas (no caso da escola essa informação deverá envolver toda a comunidade escolar), ajudando a compreendê-las, em vez de tentar que sejam as crianças a mudar os seus comportamentos”, lê-se no guia.
 
Aconselha-se, por exemplo, que sejam evitados “cantinhos”, como o cantinho das bonecas ou o cantinho dos carrinhos, frequentemente associados às meninas e aos meninos, respectivamente, e que é comum acontecer no pré-escolar. Recomenda também que seja permitido à criança expressar as suas preferências, nomeadamente no nome, e que se utilize o nome pelo qual a criança quer ser chamada mesmo que possa parecer desconforme com o seu género.
 
Manuela Ferreira apontou, por outro lado, que não se deve deixar que os casos de bullying aconteçam: educadores e outros profissionais devem intervir assim que tiverem conhecimento de uma situação do género, em que a criança é insultada ou discriminada. “E aproveitar até a situação para explicar as coisas e fazer disto uma lição para os restantes meninos”, defendeu, acrescentando que também se deve tentar abordar a família “para prevenir aquelas situações de silêncio”.
 
“O que não devem de todo fazer é ignorar. Esta é a mais importante das recomendações”, defendeu Manuela Ferreira.
 
Já em relação às famílias, a responsável da AMPLOS explicou que é importante, “antes de mais”, mostrar que “o amor incondicional existe”. “Só temos que aceitar os nossos filhos e continuar a amá-los. Isto é só uma característica, que pode ser esbatida com o tempo ou não, mas é uma característica e uma característica não pode ser um impedimento para que nós não continuemos a amar os nossos filhos”, apontou a responsável.
 
Manuela Ferreira salientou que também entre as famílias é importante não silenciar a questão, ressalvando que “o silêncio pode dar cabo de uma família inteira”. “O melhor que nós podemos fazer é falar das coisas, sem medos”, aconselhou.
 
De acordo com Manuela Ferreira, a ideia de construção destes guias surgiu há uns anos, depois de uma família ter procurado ajuda junto da AMPLOS por causa do filho, que tinha na altura entre seis e sete anos e era discriminado na escola porque tinha comportamentos e escolhas que fugiam ao que era socialmente esperado de um rapaz.
 
 
Os guias foram sendo elaborados com a ajuda do Instituto de Apoio à Criança (IAC) e foram apresentados ao início da tarde em Odivelas, num evento para assinalar o Dia Municipal pela Igualdade. A vice-presidente da AMPLOS adiantou que a partir de sexta-feira os guias vão estar disponíveis no site da associação e que o IAC terá também exemplares em papel para distribuir pelas escolas.
 
A cerimónia de apresentação conta também com a presença do presidente da Associação Nacional de Directores de Agrupamentos de Escolas, Filinto Lima, e do presidente da Confederação Nacional de Pais, Jorge Assunção.
 
In Público, 24 de Outubro de 2019
 
logotipo do facebook logotipo do twitter logotipo do delicious
PESQUISAR NOTÍCIAS
NOTÍCIAS
2019
Outubro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2018
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2017
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2016
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2015
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2014
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2013
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2012
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2011
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2010
Dezembro
Novembro
Outubro
Setembro
Agosto
Julho
Junho
Maio
Abril
Março
Fevereiro
Janeiro
2009
Novembro
Setembro
Agosto
Julho
2006
Julho
Junho
Contacto e Sugestões | Avisos Legais | English