Notícia

ILGA Portugal elege nova direção

Direção e Staff da ILGA no palco dos prémios arco-íris, Janeiro de 2020
Fotografias da nova direção da ILGA Portugal

25 de outubro de 2019 – Foi eleita a nova Direção da Associação ILGA Portugal para os próximos 4 anos. Tomaram posse como Presidente, Ana Aresta, Vice-presidente, Joana Cadete Pires, tesoureiro, Hélder Inês, secretário, João Valério e como vogal Daniela Bento. Como membros suplentes da direção tomaram posse Teresa Amor, Isaac dos Santos, Pedro Carreira, Diana Amado e Nuno Gonçalves.

A ILGA Portugal tem, ao longo das últimas décadas, procurado intervir junto de atores políticos e da própria sociedade civil de forma a erradicar a discriminação e o preconceito que ainda estão presentes na sociedade portuguesa, contribuindo para a criação de políticas públicas inclusivas e implementação de espaços seguros e respostas sociais específicas e adequadas através da educação para os direitos humanos e de mecanismos de intervenção que contribuam para a mudança de mentalidades.

Não obstante o trabalho que tem sido desenvolvido pela ILGA Portugal ao longo dos últimos anos, bem como, a evolução legislativa em matéria de proteção e promoção dos direitos das pessoas LGBTI, a verdade, é que ainda existem muitas pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans, intersexo ou percecionadas como tal, que continuam a sofrer em silêncio a discriminação de que são alvo.

É com sentido de forte motivação que a nova Direção da Associação ILGA Portugal se propõe em reforçar o trabalho desenvolvido ao longo dos anos pela mais antiga associação portuguesa pelos direitos LGBTI.

Pela primeira vez contamos com duas mulheres nos cargos de Presidente e Vice-Presidente, tal como duas pessoas trans, a Daniela Bento e o Isaac dos Santos, uma posição que não é alheia aos dinamismo sociais e políticos emergentes sobre a igualdade de género.

A ILGA Portugal existe numa lógica de proximidade com comunidades de cariz político, cultural, desportivo e de ajuda. É com elas (e com tod@s que se queiram juntar a nós) que ambicionamos dar resposta às diversas necessidades e ambições de um maior número de pessoas. Lutamos por menos isolamento, menos armário, por uma maior integração comunitária, mais Orgulho e, convosco, mais, #MuitoMaisIgualdade